Um pouco de emoção e os números de nossa atuação na região serrana do RJ PDF Imprimir E-mail

Queridos amigos
Finalmente consegui um final de semana tranquilo, após minha chegada da Região Serrana do Rio de Janeiro.

Tenho muitos relatos de diversas situações que vivi, presenciei e ouvi de moradores. Pessoas com um semblante de sofrimento estampado em seus olhos. Sorrisos congelados, olhares perdidos e ao mesmo tempo esperançosos. Muitas vezes, presenciei moradores parados, olhando para o nada onde existia um tudo. Neste momento, o que viam eram apenas amontoados de coisas,lama, arvores,terra. Queriam enxergar mais, queriam ouvir, queriam sentir, mas o que viam era apenas um amontoado de vidas que se foram.

Durante todas as noites que dormi no acampamento, um fato estranho acontecia nas madrugadas. Exatamente as 3:30 da madrugada, todos os cães começavam a uivar e a latir, como se prestando uma homenagem aos que se foram. Esse fato ocorreu durante 15 dias consecutivos. Depois percebi que, depois de 15 dias do ocorrido, uma bela manhã, muito ensolarada, os pássaros começaram a cantar. Uma sinfonia sem precedentes, eram canários da terra, sabias, bem te vis, enfim, todo tipo de pássaros, começaram uma cantoria como celebrando a vida.

Eu estava levando donativos , quando percebi cerca de 10 ou 12 gaviões unidos, pareciam estar confraternizando. Naquela noite, perto do acampamento, enquanto eu andava um pouco, tentando espairecer, passaram por mim vários gambás. Passaram por minhas pernas como se eu nem existisse, sem medo, apenas passaram por mim. Eram mais ou menos uns 8 ou 10, não deu pra contar direito. Eu também fiquei assustada, pensei até que pudesse estar acontecendo alguma coisa na terra, mas, o céu estava estrelado,a noite agradável, então pensei: estão apenas se reencontrando depois da fúria da natureza.

Bem, tem muitos outros relatos, mas o principal relato que tenho agora é meu agradecimento a todos que confiaram em mim. Agradeço a todos que acreditaram que eu conseguiria fazer a diferença naquela região. Agradeço a população de Campo do Coelho, onde fiquei com minha base por 50 dias. Voluntários como Diogo e sua mãe, a Dulce. Pessoas que ajudaram muito, e me ajudaram durante toda minha estadia.

Com a preciosa ajuda de muitos voluntários, que vieram de todos os lugares do Brasil, posso me orgulhar em dizer, que tive veterinários comigo que vieram do Amazonas, Belo Horizonte, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre, realizamos 678 cirurgias de castração, 120 resgates, 250 atendimentos clínicos. Distribuímos 55,5 ton ( cinqüenta e cinco mil e quinhentos quilos) de ração. Isso mesmo, até eu me espantei. No dia 30 de março, nosso último caminhão com 13 toneladas de ração partiu rumo a Teresopolis. Essas doações foram encaminhadas para Luiza Pinheiro, em Teresópolis . Juntamente com a Fundação Natureza, e a ajuda do Abutre's Moto Clube , irão redistribuir as rações. Elas estão com um cadastro de famílias que tem animais,e certamente serão atendidas em suas necessidades.

Meu sincero agradecimento a todos.

Amélia Margarida de Oliveira

0 Voto(s)

0 Comentário(s)

Mande seu comentário!